terça-feira, 27 de outubro de 2009

A beleza na diferença - família


Deus criou o primeiro casal humano: um homem e uma mulher. O homem e a mulher são dois seres completos em si mesmos, e, no entanto, devem-se completar um ao outro. Nos dois sexos o Criador realizou conjuntamente, de modo completo, a idéia de "homem". Cada sexo tem o seu caráter peculiar, porém o homem e a mulher, completando-se mutuamente, dão a idéia completa de "homem".

O cunho característico do homem é o trabalho criador que reclama coragem e atividade. A sua vontade é forte, o seu caráter firme, perseverante nas resoluções. Ele se enche de alegria quando pode afrontar vitoriosamente, com fronte dura como o granito, as mil tempestades do combate da vida.


A mulher seria esmagada na luta contínua pela vida.

O terreno melhor para ela é o doce ninho da família, onde com amor inexaurível e com dedicação incessante, cuida do lar, dos filhos, e desenruga com um sorriso os traços severos do esposo que entra após o trabalho penoso. A sua força criadora não é tão elevada quanto a do homem, mas são maiores a sua paciência e a sua perseverança.

Deus realizou para a humanidade o mais belo ideal, criando dois sexos. Fundou sobre a diferença dos sexos o encanto inesgotável da vida familiar, o amor do esposo e dos filhos, e mesmo, em parte, o amor dos pais. São, pois, precisos no mundo o homem e a mulher. Faz-se mister a força do homem ao lado da ternura da mulher. É necessária a energia ardente do homem ao lado da ternura da mulher. É indispensável a energia ardente do homem ao lado do amor, da beleza e da sensibilidade mais profunda da mulher. Os dois sexos são inseparavelmente feitos um para o outro. Foi por isso que o Criador colocou a primeira mulher ao lado do primeiro homem, e fundou desde o começo da humanidade a primeira família.

(O brilho da mocidade - Dom Tihaner Toth, págs. 12 e 13)

PS: grifos meus
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...